Esquizofrenia Sob a Luz do Existencialismo Moderno


livro: esquizofrenia

Este trabalho tem o objetivo de promover a compreensão do fenômeno “esquizofrenia” sob a luz da teoria do existencialismo moderno. Investigar as origens da “loucura” e a construção histórica do conceito em detrimento da vivência concreta. Confirmar que não se trata de 

doença, nem orgânica nem mental, mas sim um comportamento desviante à norma, em que a psiquiatria se elegeu como guardiã deste problema.

O presente trabalho permite o estudo através de vários autores, inserindo e contextualizando no espaço histórico-cultural. A análise do estudo mostrará que o problema se altera quando mudamos da interpretação para descrição do fenômeno – instrumento da fenomenologia – colocando em relevo as percepções dos indivíduos e, sobretudo, salientando o significado que os fenômenos têm para eles.

Por se tratar de um problema de relevância social e econômica, aponta algumas saídas, ainda que a principal mudança seja a contestação dos valores sociais vigentes, que não se adéquam ao modus vivendi atual dos seres humanos. 

Ficha Técnica

Título: Esquizofrenia
Gênero: Ensaio Teórico
Autor: Yan Klovinsk
Origem: Nacional
Idioma: Português – Brasil.
Edição: 1ª
Ano: 2016
Número de páginas: 45
Palavras-chaves: Saúde mental, cura, esquizofrenia, psicologia existencialista e fenomenologia.
Formato: eBook Kindle
Tamanho: 2.214 KB

O que você pensa sobre o tema? Deixe um comentário logo abaixo ou sugira um artigo, precisamos de ambos para continuar melhorando o blog.

Esperamos sua visita em breve. Obrigado pela Companhia e, compartilhe com os seus Amigos!

Junte-se aos Nossos Leitores e Receba nossas atualizações!

Respeitamos sua privacidade. Você está 100% seguro!

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Os distúrbios mentais são comumente interpretados pela sociedade como algo anormal. Indivíduos que apresentam características mentais ou físicas que fogem ao padrão considerado "normal", são rotulados como "loucos". A esquizofrenia é considerada pela massa, como também, por especialistas no assunto, médicos psiquiatras, como uma doença endógena caracterizada pela perca do contato com a realidade. Dependendo do ponto de vista, loucos são os que deixam de fazer o que sentem vontade, por medo de decepcionar a sociedade, sacrificam suas próprias vontades em função de terceiros. Talvez as pessoas que acusam no laudo esquizofrênicas, sejam simplesmente pessoas que estão a vários passos a frente da sociedade, somos realmente vigiados e perseguidos diariamente, as vozes que habitam a mente de um esquizofrênico, talvez seja a mesma que habita a mente de um individuo comum, porém, um pouco mais aguçada. Virginia Woolf, escritora do modernismo, esquizofrênica, se tornou a pouco tempo, alvo do meu corriqueiro questionamento, como uma mente tão brilhante, com poemas extraordinários, seja classificada "louca", talvez ela tenha se suicidado por não aguentar viver em um mundo onde a sociedade é tão ordinária e medíocre. Uma das varias frases que eu gosto, de Virginia Woolf, e é propícia ao momento, "Você nem imagina que legado a insanidade deixa por trás." Vivemos em uma sociedade, onde o diferente precisa ser tratado, para ser assemelhado a massa, não temos direitos e autonomia nem de gerenciar nossas próprias ações e pensamentos. Isso fere os valores éticos de cada individuo, onde se encontra a tal liberdade, que é direito do individuo? se nem agir e pensar diferente lhe é permitido.

    Espero me surpreender e ampliar meu leque de conhecimentos com o livro "Esquizofrenia". Brevemente farei meu comentário a respeito do tema, "Infidelidade e débito conjugal no matrimônio." e minha resenha, assim que terminar de ler o livro "Esquizofrenia". Ótimo blog, Senhor Klovinsk.



    Respeitosamente,




    Bárbara Cleiane Pacheco De Almeida.

    ResponderExcluir