O Legado Deixado Pelo Governo Militar


governo militar

Conhecido por muitos como um “período negro” ou “ditadura” da história brasileira que se iniciou em 31 de março de 1964 com o golpe que derrubou João Goulart até janeiro de 1985 com a eleição indireta de Tancredo Neves que, por ironia do destino não assumiu. 

Entretanto, vivemos um Governo Petista que alguns tolos o consideram sério, honesto e progressista – uma democracia.

No sentido mais amplo da palavra nem democracia é, enquanto o “voto” e o “alistamento militar” passarem de obrigatórios para facultativos.

O “Golpe Militar” não nasceu por uma simples disputa de poder. O País enfrentava uma grande instabilidade política durante o governo de João Goulart com a ocorrência de greves e manifestações políticas e sociais e, nem eram essas manifestações que temos acompanhado pelos jornais e TV. Evoluímos para o vandalismo onde a Polícia tem de pensar duas vezes se prende ou não os vândalos enquanto depredam o patrimônio público.

O Alto custo de vida enfrentado pela população foi um fator que contribuiu para o golpe militar. Hoje é diferente a carga tributária sobre os “mais pobres” é insignificante, a concentração de renda nas mãos de poucos é mera ilusão, nem nos preocupamos com isso. Só pensamos em coisas que não resolvem os problemas sociais do País.

As “promessas” não cumpridas de João Goulart em fazer a Reforma de Base, mudanças radicais na agricultura, economia e educação contribuiu para o golpe. Ainda estamos nessa fase, o que ficará mais evidente nas Eleições de outubro próximo, promessas e mais promessas. Muitos candidatos, firmes em seus palanques sobre o banhado erguerão suas vozes e prometerão a Reforma política, fiscal, previdenciária... Educacional. Vão querer promover uma reforma da administração pública que valorize os funcionários públicos, a valorização de todos os Professores, uma Reforma bancária que criará uma linha de crédito especial para Negativados no SPC e SERASA, blá, blá, blá. Fique esperto! Para muitos políticos ouvidos foram feitos para se encher de promessas. Mas se você quer realmente conhecer seu candidato pergunte a ele: “Como?” Como ele pretende implementar tal promessa? Se ele responder você observará pela lógica se tal promessa pode ou não ser cumprida por ele.

No período anterior ao golpe havia um medo da classe média de que o socialismo fosse implantado no Brasil. Parece que isso não vai acontecer, porque mesmo os países socialistas estão se abrindo ao capitalismo. Entretanto, evoluímos do medo do socialismo para o medo da violência em todas as suas nuances.

Também, houve apoio aos militares brasileiros de setores conservadores, da classe média, dos Estados Unidos e da igreja católica. Amém!

O golpe militar é considerado um período negro da história brasileira por causa da cassação de direitos políticos de opositores com uso de métodos violentos, inclusive tortura, contra os opositores ao regime. A repressão aos movimentos sociais e manifestações de oposição e censura aos meios de comunicação. Apesar do forte crescimento da economia entre 1969 a 1973, com altos investimentos em infraestrutura houve aumento da dívida externa.

Foi implantado nesse período o bipartidarismo: ARENA (governo) e MDB (oposição controlada). Hoje isso mudou muito, o sistema é pluripartidário, temos mais opções. No TSE estão registrados 32 partidos políticos. Se naquela época era difícil escolher um partido entre dois, imagine agora ter que escolher um entre trinta e dois?

O Ato Institucional Nº 5 ou AI-5 foi o decreto se sobrepôs à Constituição de 1967, bem como às constituições estaduais, dava poderes extraordinários ao Presidente da República e suspendia várias garantias constitucionais. Mas em 1978 o AI-5 foi revogado pelo Presidente Ernesto Geisel, restaurando o habeas corpus.

Presidentes do período militar no Brasil: Castelo Branco (1964-1967); Costa e Silva (1967-1969); Junta Militar (31/8/1969-30/10/1969); Médici (1969-1974); Geisel (1974-1979) e Figueiredo (1979-1985).

Diante desse quadro que se configurou no passado cresce o número de pessoas que não quer mais ver militares no poder. Militares, nunca mais! Espera um pouco, nem tudo é o que parece!

Foram eles que iniciaram e investiram pesado em infraestrutura, que criaram o Proálcool – o nosso etanol – diminuindo a dependência do país ao petróleo importado e impulsionaram a gigantesca Petrobras, que passou a extrair 10 vezes mais petróleo.

Eles alavancaram o Brasil da modesta e pacata 45ª economia do mundo para a 8ª posição e o 2ª maior construtor naval, em menos de vinte anos, trazendo nos anos seguintes ainda mais investimentos para o País.

Criaram uma gigantesca oferta de empregos para mais de 13 milhões de brasileiros e, como num passe de mágica, os índices de roubos e assaltos baixaram consideravelmente. Como relatado no artigo anterior, hoje não há empregos formais para todos, infelizmente. Estar desempregado é uma condição social favorável a criminalidade. Pode-se resolver isso trabalhando por conta própria, mas muitos não estão habilitados, outros não querem. Vai trabalhar vagabundo!

Durante o período militar foram construídas hidrelétricas gigantescas como a Tucuruí, Ilha Solteira, Jupiá e Itaipu e a instalação de milhares de torres de alta tensão espalhadas pelo território brasileiro. Hoje em pleno século 21 precisamos delas mais do que nunca, sem elas não teríamos energia suficiente para atender a demanda. Ressalta-se que o horário de verão não foi criado para economizar energia, como ditam as propagandas, saímos do trabalho uma hora antes, numa época do ano em que se consome mais energia cujo o pico se encontra as 19:00h. Mas saindo uma hora antes do trabalho todos tem a chance de chegar em casa e tomar um banho antes desse horário. Assim, distribui-se o consumo de energia para evitar o “blecaute” – um apagão.

Implementaram os metrôs de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza sem o que seria impossível usar carros nessas cidades.

Criaram o MOBRAL, FUNRURAL, EMBRATEL, TELEBRÁS, ANGRA I e II, INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM e trouxeram a TV a cores para o País.

Se um homem deve ser julgado por aquilo que ele faz, pois o que ele faz é o que o define, então, devemos olhar os militares com outros olhos, mesmo como atenuante de culpa-pena. Seja pelo que fizeram ao País, seja porque nenhum deles ficou rico ou que a classe política naquele período não nos revelava tantos escândalos de corrupção. Pareciam pessoas mais compromissadas com os interesses do Povo.

O que você pensa sobre o tema? Deixe um comentário logo abaixo ou sugira um artigo, precisamos de ambos para continuar melhorando o blog.

Esperamos sua visita em breve. Obrigado pela Companhia e, compartilhe com os seus Amigos!

Junte-se aos Nossos Leitores e Receba nossas atualizações!

Respeitamos sua privacidade. Você está 100% seguro!

4 comentários:

  1. Olá ! Obrigado pelo comentário. Por isso é importante saber escolher os nossos representantes.
    Forte abraço e Sucesso!

    ResponderExcluir
  2. meu ponto de vista hoje o Brasil esta nas maos dos corruptos governantes que si aproveitam do poder que demos a eles para seu proprio interesse, fazem o que querem sem nenhuma etica.
    a populaçao aceita calada e na televisao colocam o que acham conveniete a eles, nem tudo e verdade ou mentira, nao sabemos ainda como lidar com a situaçao, e o que acontece com os protestos hoje virou bagunça as vezes sem sentido, vira vandalismo total.
    temos que procurar melhor ou mudar o que nao gostamos e fazer valer o que desejamos para o nosso imenso Brasil. Vamos fazer protestos pacificos, mais todos juntos, por um brasil melhor e agora e um bom momento para isso, pois o mundo esta virado para nos a copa, vamos chamar atençao, ate torco para o brasil perder sim perder!
    o que vai influenciar a minha vida ou meu pais não e a copa e sim as eleiçoes de outubro, uma chance que temos de melhorar nosso pais, pelo menos um pouquinho, por que do jeito que ta agora esta ficando insuportavel, vergonhoso o nosso pais.
    Que pais e esse? ja diziam...

    ResponderExcluir
  3. O Brasil vem passando por um momento semelhante ao que antecedeu o Golpe Militar, e acredito que hoje seria interessante esse tipo de intervenção. Relatos dos meus familiares, que vivenciaram o golpe, afirmam que o trabalhador, o povo de bem e os que queriam tocar suas vidas não tinham problemas com o militarismo, diferentemente daqueles que não se adaptaram com a medida drástica imposta para restaurar a ordem de uma forma geral. O Brasil precisa ser desintoxicado. A forma de aplicar a Lei e a politica estão sem credibilidade e talvez, um "Ato Institucional" possa resolver.

    Aldenir Pereira

    ResponderExcluir
  4. O Brasil hoje é considerado uma país democrático, onde todos são iguais perante a lei e de fato é tudo muito bonito no papel, pois a realidade é outra , hoje vemos nossos representantes roubando o que é nosso por direito e não podemos aceitar isso calados ,precisamos mudar o pais de alguma forma , evitando ao máximo a corrupção que tanto nos persegue .

    EDILSON NEVES MAGALHÃES

    ResponderExcluir