Conheça o Segredo em Ser Aprovado no Exame da OAB!


ser aprovado na oab

Você que é estudante de direito tem três preocupações que lhe acompanha durante toda a graduação: apresentação do TCC, a colação de Grau e a Prova da OAB que lhe confere plenos poderes para o exercício da profissão – o coroamento da carreira de Advogado. Acredite, salvo 

raríssimas exceções você estará preparado para os dois primeiros, o que não ocorre com o Exame Unificado da OAB realizado desde 2010 pela Fundação Getúlio Vargas.

No Brasil temos mais cursos de Direito do que o resto do planeta somados, o que é muita coisa. Isso demonstra duas coisas, estamos mais preocupados com as Leis e o seu efetivo cumprimento ou estamos mais voltados para os louros da profissão. Entretanto isso não reflete a qualidade de conhecimento adquiridos ao longo do curso, basta verificar o alto índice de reprovação nos exames da OAB.

Se a 1ª fase do exame parece-nos mais fácil, a 2ª fase – a prova Prático-profissional – é um verdadeiro desespero para os estudantes, de imediato tropeçamos da língua-mãe, o nosso querido Português pela simples falta do hábito da leitura, a grafia correta das palavras, o entendimento correto do que está sendo pedido para a confecção da PEÇA PRÁTICO-PROFISSIONAL e nas quatro questões, além, é claro, do pouco conhecimento de PROCESSO – que representa, grosso modo, mais de 95% do trabalho de um Advogado.

Apesar da 1ª fase do exame se mostrar “mais tranquila”, é o que pensamos por ser uma prova objetiva de múltipla escolha, 05 opções de respostas possíveis, mas na verdade é uma fase difícil também. São 80 questões para serem resolvidas em 05 horas, abrangendo todo o conteúdo ministrado durante a graduação em Direito – cinco anos. Um ano de graduação para cada hora de prova. Não se iluda, a prova demanda muito esforço físico e mental. Você termina a prova esgotado!

Diante dos parágrafos anteriores, você ficou mais preocupado do que tranquilizado, concorda? Só apresentamos os fatos, nada mais! E fatos não se discute, opiniões sim! Porque é assim que funciona os dois exames – 1ª e 2ª fase.

Não entre em pânico! Você não pode mudar as condições da prova, mas pode mudar e melhorar suas condições para realizar a prova.

Em primeiro lugar, o fundamental, mantenha o controle emocional! Não vá fazer a prova com obrigação de passar, pois o mundo não vai acabar pela sua reprovação, nem vai ficar melhor se você for aprovado. Isso é um fato! O resultado só tem importância para você, não é extensivo aos seus familiares nem aos outros, mesmo que todos estejam torcendo por você. Em caso de reprovação, lembre-se, você terá outras chances, são três provas por ano. Claro são R$ 600,00 reais a menos no seu bolso, mas perfeitamente recuperáveis num futuro próximo.

Se o aspecto psicológico – controle emocional – é o requisito indispensável que o predispõe a fazer uma boa prova, chegamos ao aspecto prático, o interesse de agir, insculpido no Art. 3.º CPC, que se aplica a nossa exposição.

Você pode saber tudo sobre sexo, teoricamente, mas só vai aprender fazendo, praticando constantemente. É por isso que sempre praticamos, repetidas vezes, buscando a melhor performance possível. Goste ou não você estará sempre sendo avaliado nesse quesito. Não temos controle dos resultados, mas temos no interesse de agir, metaforicamente falando.

Não existe segredo ou mágica. Você se dedicou alguns anos estudando Direito: leis, leis complementares, decretos, o processo civil, penal, do trabalho, a doutrina, a jurisprudência, etc. Assim, encontra-se preparado para treinar, então, mostre seu interesse de agir e treine bastante.

Com o exame unificado da ordem não é diferente, você aprende mais e melhor resolvendo as questões da prova. A palavra-chave é: Praticar. Escolha uma das provas da OAB, imprima e resolva as questões usando o período de 05 horas. Depois confira o gabarito oficial. Veja seus erros, acertos e consulte seu “Vade Mecum” para saber por que errou.

Os altos índices de reprovação tem demonstrado a necessidade do Exame de Ordem. No Exame da OAB não existe "pegadinhas", porque não é realizado para reprovar - o que não acontece nos concursos públicos que busca os melhores candidatos -, mas tão somente que os examinandos tenham o mínimo necessário de conhecimentos jurídicos para exercer a função junto aos seus clientes. Você não estará disputando uma vaga com seus colegas, apenas tem de provar que está qualificado para o exercício da função.  

Pensando nessas questões reunimos num só lugar as provas aplicadas no Exame Unificado para a OAB a partir do ano de 2010 com os respectivos gabaritos, quando a FGV assumiu a execução da prova em todo Brasil até o momento.

Lembre-se: Você não precisa esperar o Diploma de Bacharel em Direito para realizar, oficialmente, o exame unificado da OAB. Se estiver matriculado no 9º Semestre poderá fazer sua inscrição que estará valendo. Caso seja aprovado, basta aguardar o diploma de graduação e apresentá-lo a Seccional da OAB em sua cidade.


Conheça o e-book: Exame de Ordem: Uma Esfinge em Solo Brasileiro


O que você pensa sobre o tema? Deixe um comentário logo abaixo ou sugira um artigo, precisamos de ambos para continuar melhorando o blog.

Esperamos sua visita em breve. Obrigado pela Companhia e, compartilhe com os seus Amigos!

Junte-se aos Nossos Leitores e Receba nossas atualizações!

Respeitamos sua privacidade. Você está 100% seguro!

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário