As Polaridades dos Reflexos do Acúmulo de Conhecimento na Evolução do Homem


polaridades

Olá amigos! Hoje trago até vocês o artigo do colunista Clóvis Michael Garcia da Cunha*. O tema abordado é sobre a dualidade presente em nossas vidas como uma regra inquestionável da natureza. Tudo carrega seu contrário, da mais simples afirmação ao desenvolvimento de 

uma tese de doutorado, ambos carregam em seu íntimo uma antítese, uma negação.

Da mesma forma não podemos conceituar qualquer coisa – em qualquer campo do conhecimento humano – sem levarmos em consideração o seu oposto – seu contrário. Assim, passamos a observar as ponderações do colunista:

Há algum tempo discutimos os reflexos do acumulo de conhecimento da humanidade que a própria evolução nos proporciona. E essa aquisição surge da necessidade de uma investigação visando à busca por sabedoria. Podemos perceber facilmente os aspectos polares que tal bagagem intelectual exerce sobre nossa sociedade. Destacamos assim alguns campos do saber como: ciência, tecnologia, sociedade e ambiente com a finalidade de reduzir o universo dos exemplos e assim evidenciarmos a natureza dual das consequências da sabedoria. Talvez mais que acumular, compartilhamos crenças, informações, ideias, experiências, etc.

Podemos apresentar o exemplo do acesso à internet fazendo uma analogia entre os países da Escandinávia com alguns países pobres, onde no primeiro, cem por cento das casas possuem acesso à rede mundial de computadores ao passo que muitos povos de países emergentes nem sabem da existência do WWW. Você sabe o que significa WWW? Dentro do mundo digital conseguimos lembrar algumas situações positivas: entretenimento, rapidez na busca de informações, pesquisas e fonte de estudo são as mais notáveis. Por outro lado a pessoa quando “viciada” pode confundir o mundo real com o virtual, ficar sedentária, etc.

No campo da aeronáutica ficamos maravilhados ao ver um Boeing levantar voo e levar consigo algumas dezenas de passageiros seja a trabalho ou a lazer. Quantas vidas os helicópteros da guarda costeira, SAMU, Policia Militar, já salvaram? Contudo o mesmo princípio do avião pode ser aproveitado nos caças e nos bombardeiros de guerra e que já dizimaram muitos civis e militares.

Quando o assunto é meio ambiente podemos ver como produto do acúmulo de conhecimento a respectiva formação de grupos conservadores da natureza como Greenpeace, WWF, entre outros. Por outro lado percebe-se também a degradação das florestas, rios, extrativismo desenfreado, desmatamento, queimadas para os pastos dos rebanhos bovinos e os grandes latifúndios da monocultura da soja, cana de açúcar, milho e demais sementes. Lembremos também do buraco da camada de ozônio como fruto de nossa busca pelo conforto do ar condicionado, geladeiras e outros produtos emissores dos CFCs – gases clorofluorcarbono.

Na esfera do saber e sua busca, presenciamos o crescimento e surgimento de várias universidades. Tanto as tradicionais como as EaD - ensino a distância. Em contrapartida ainda podemos constatar a dificuldade de alguns grupos para ingressarem no curso superior onde mesmo sob regime de cotas não conseguimos ajudar todos os desiguais. Já vimos também em noticiários vários locais onde o ensino de qualidade ainda é um sonho pois faltam professores qualificados, infraestrutura adequada, transporte, etc. Esta realidade, encontrada muitas vezes no interior do Brasil contrasta com a de muitas capitas onde o tablet - lousa digital - e outros aparatos tecnológicos estão totalmente incorporados em suas rotinas.

No eixo social sabemos as diferenças que existem entre as mulheres do Ocidente e as que vivem no lado oriental de nosso planeta. A herança cultural em alguns países principalmente os de religião muçulmana, exclui as mulheres de seus direitos como a condição de votar e trabalhar. Não muito longe, percebemos as diferenças salariais entre homens e mulheres que ocupam a mesma posição hierárquica na mesma empresa.

Na biomedicina temos como legado a descoberta da penicilina, anestesia, e outros medicamentos que fazem parte de nossa rotina. Quem nunca tomou um analgésico? Estes mesmos conhecimentos já foram empregados na elaboração de armas químicas em guerras de outrora. Também sabemos que existem dezenas de laboratórios espalhados pelo mundo repletos de armas biológicas das mais variadas espécies, principalmente nos antigos países da extinta União Soviética.

Diante do exposto fica visível a natureza dual que os reflexos do acumulo do saber exercem sobre nossa sociedade, sobre a ciência, tecnologia e ambiente. Estes quatro pilares apresentados revelam que não importa o propósito de concepção do conhecimento, pois sempre haverá estas polaridades para o bem ou para o mal dependendo do contexto em que se situam. Talvez seja inerente ao conhecimento a célebre frase da tragédia de Hamlet, do autor William Shakespeare: “ser ou não ser, eis a questão...”. O saber estará sempre a mercê do contexto em que estiver inserido e principalmente do momento pelo qual está conectado. É como se estivesse mergulhado dentro da teoria da relatividade de Einstein dependendo do ponto de vista do observador e do observado.

O que você pensa sobre o tema? Deixe um comentário logo abaixo ou sugira um artigo, precisamos de ambos para continuar melhorando o blog.

Esperamos sua visita em breve. Obrigado pela Companhia e, compartilhe com os seus Amigos!

Junte-se aos Nossos Leitores e Receba nossas atualizações!

Respeitamos sua privacidade. Você está 100% seguro!

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário